Contadores de histórias, vaqueiros e um boi encantado: narrativas orais e cultura popular em Uma estória de amor, de Guimarães Rosa

Roberto Soares Francisco

Resumo


O artigo estuda a novela Uma estória de amor (1964), de Guimarães Rosa, com o objetivo de apreender o contexto de emergência da oralidade e da tradição oral presentes na cultura popular sertaneja. Parte-se da apreensão desta oralidade como um discurso do encantamento em que não há fronteira entre real e imaginário, expressando-se através de contadores de histórias e suas performances narrativas e a (re)criação e circulação dos contos orais pertencentes ao Ciclo do Boi.

Palavras-chave


Oralidade, Tradição Oral e Popular, Contadores de histórias

Texto completo:

PDF




----

Indexação: LatIndex | Diadorim

ISSN: 2177-1960