A retórica e a dialética do rei fantasma em Hamlet

Simone LANCINI, Maria Alzira LEITE

Resumo


RESUMO: Este trabalho objetiva estabelecer uma leitura da retórica e da dialética do pai de Hamlet, o fantasma, envenenado por seu irmão Cláudio, sobre a verdade de sua morte. Hamlet e o fantasma de seu pai dialogam em vários momentos, nos quais a relação entre sujeito e verdade é tratada. Para tanto, utilizam-se as interpretações de Platão apresentadas no diálogo Crátilo sobre a verdade e a retórica, comparando-as aos diálogos entre Hamlet e o fantasma do pai. As concepções teóricas de Vigotski e Freud também são evocadas para explicar o conflito expresso no diálogo teatral. Por fim, o presente estudo implica em identificar a verdade, com ênfase na personagem do fantasma.

Palavras-chave


Retórica; Fantasma; Verdade; Hamlet.

Texto completo:

PDF




----

Indexação: LatIndex | Diadorim

ISSN: 2177-1960