Pedras brilhantes: jogos e poesia na escrita de Guimarães Rosa.

Ivana Ferrante REBELLO

Resumo


Resumo: Na ficção de Guimarães Rosa, a pedra surge de forma repetida e multiplicada, como imagem do relevo, como metonímia e metáfora. Neste estudo, a pedra é equiparada a um jogo, em que autor e leitor fazem um pacto. A pedra de Araçuaí, que circula no romance Grande Sertão: veredas, é um símbolo de trocas linguísticas, invenções de palavras e experiências lúdicas.

Palavras-chave


Jogo; poeticidade; Guimarães Rosa; pedra.

Texto completo:

PDF




----

Indexação: LatIndex | Diadorim

ISSN: 2177-1960